NOTÍCIAS

05 Julho

Vai viajar para fora do país? Saiba quais vacinas devem estar em dia.

Tão importante quanto ter em mãos os seus documentos pessoais de identificação para que as autoridades confirmem sua identidade, é fundamental também carregar a sua carteirinha de vacinação.

Para viagens internacionais, o Ministério da Saúde do Brasil orienta que o viajante esteja com a sua situação vacinal atualizada, conforme as orientações do Calendário Nacional de Vacinação. Você pode verificá-lo clicando AQUI

Dessa forma, recomenda-se que o viajante procure os serviços públicos de vacinação portando um documento de identificação e o cartão de vacinação, se disponível, para avaliação e atualização, quando necessário.

As vacinas recomendadas pelo Ministério da Saúde são oferecidas gratuitamente nos serviços públicos de vacinação.

O viajante deve incluir o cartão de vacinação entre os documentos da viagem, pois, conforme as normas do Programa Nacional de Imunizações, este é o documento que comprova a vacinação.

O Ministério da Saúde apresenta, a seguir, orientações específicas com relação aos seguintes agravos:

 

Febre Amarela

Em conformidade com o Regulamento Sanitário Internacional (RSI) 2005, alguns países podem exigir a comprovação da vacina febre amarela para a entrada de estrangeiros em seu território, por meio da apresentação do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP).

O CIVP é um documento de reconhecimento internacional que comprova o atendimento à exigência de vacinação ou profilaxia realizada para imigração de viajantes internacionais nos Estados Membros. Para a emissão do CIVP, o viajante deverá procurar os Centros de Orientação ao Viajante, levando o seu Cartão de Vacinação e um documento de identificação oficial com foto. Para mais informações CLIQUE AQUI

A lista de países que apresentam risco de transmissão para febre amarela e de países que exigem o comprovante de vacinação para entrada em seu território deve ser consultada no endereço eletrônico da Anvisa ou da Organização Mundial da Saúde (OMS).

É importante destacar que o viajante deve receber a dose padrão da vacina febre amarela pelo menos 10 dias antes da viagem para que a dose seja considerada válida no momento do seu embarque.


Poliomielite

No contexto das ações de vacinação no Brasil e diante do cenário global da poliomielite, alguns países se mantêm endêmicos, de risco ou com surto da doença, mantendo a possibilidade de importação pelos demais países. O Brasil, desde 1990, não registra casos da poliomielite e em 1994 recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) a Certificação de área livre de circulação do poliovírus selvagem. Assim, o Ministério da Saúde do Brasil orienta que as pessoas que se deslocarão para os países endêmicos, de risco ou com surtos da doença listados nos endereços eletrônicos abaixo procurem a sala de vacinação mais próxima da sua residência, pelo menos 4 semanas antes da data da viagem, para atualização da vacinação contra pólio e emissão do CIVP* quando necessário.

Lista dos países endêmicos, de risco ou com surtos da doença:

Países endêmicos: Acesse AQUI 

Principais países em risco: Acesse AQUI 

Países com surto: Acesse AQUI 

 

Sarampo e Rubéola

Muitos países permanecem endêmicos para o sarampo e a rubéola, apresentando surtos com grande número de casos e até mesmo a ocorrência de óbitos por essas doenças, comprometendo os esforços realizados pelos países, especialmente o Brasil, para manter a eliminação desses agravos. Assim, os brasileiros devem atualizar sua situação vacinal para o sarampo e a rubéola pelo menos 15 dias antes da data da viagem.

Difteria e tétano

Surtos recentes de difteria em vários países demonstram o risco a que as pessoas não vacinadas estão expostas. Trata-se de uma doença grave, potencialmente letal, cuja proteção pode ser feita por meio da vacinação. O tétano também é uma doença grave, prevenível por vacina e que ocorre em todo o mundo. Pessoas não vacinadas correm risco de contrair essas doenças. Assim, os brasileiros que irão se deslocar para qualquer país devem atualizar a situação vacinal contra a difteria e o tétano antes da viagem.


Fonte: Ministério da Saúde